quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Visitando o Vaticano: dicas e atrações do melhor país do mundo

O Vaticano possui apenas 0,44 km², sendo considerado o menor país do mundo. Está localizado dentro da cidade de Roma, na Itália, sendo todo murado e considerado um país, tendo inclusive, chefe de Estado (que é o Papa), ministros e toda uma estrutura de governo.


Conhecer o Vaticano é uma experiência única e deve estar no roteiro de todo o viajante pela Itália, principalmente para quem irá passar por Roma. Independentemente de sua religião, vale muito a pena conhecer o Vaticano, pois é um local com uma história muito rica e com muitas obras de arte importantes. Lá encontramos muitas obras de arte de nomes que ficaram marcados na história, como Michelangelo, Rafael e Botticelli. O teto da Capela Sistina, de autoria de Michelangelo, uma obra maravilhosa e gigantesca, por si só, já vale a visita ao Vaticano.

Aconselhamos dedicar um dia inteiro ao Vaticano, para então poder conhecer suas principais atrações e obras com calma. Tem muita coisa para se ver no Vaticano, a coleção de obras de arte é impressionante e guarda muita história.

Como chegar

Estando em Roma é muito fácil chegar ao Vaticano, que está localizado a poucos quilômetros do centro da cidade. E possível utilizar o transporte público com tranquilidade, sendo as seguintes as principais opções:

- Ônibus 62: essa linha passa em diversos pontos de Roma, como República, Praça Espanha e Praza Veneza. Você pode descer em uma das paradas próximas ao Vaticano, ao longo da Via dela Conciliazione.
- Ônibus 64: liga a estação Termini (estação central de trem de Roma) a cidade do Vaticano, passando por pontos centrais de Roma, como a Praça Veneza. Você pode descer no ponto Ospedale Generale, Santo Spirito ou a próxima.
- Ônibus 81: boa opção para quem está visitando o Coliseu e quer visitar o Vaticano. Você pode descer na Praça Ressurgimento, perto da entrada dos Museus do Vaticano.
- Metrô: é um meio de transporte barato e rápido para se chegar ao Vaticano. Você deve pegar a linha A e descer na estação Cipro ou Ottaviano. A primeira é mais perto da entrada dos Museus do Vaticano, enquanto a segunda é mais perto da Basílica de São Pedro.

Se você tiver disposição, poderá ir a pé desde a região central de Roma até o Vaticano. Desde a Praça Vezena a caminhada leva cerca de 30 a 60 minutos e finaliza na linda Via de Conciliazione, que termina na Praça de São Pedro.

Basílica de São Pedro

Após o controle de segurança, onde se passa por um detector de metais e as bolsas são vistoriadas por raio-x, já se está dentro da Praça de São Pedro e já é possível ver a majestosa Basílica de São Pedro. A praça é muito ampla, vale a pena parar por alguns minutos para apreciar a arquitetura e a grandiosidade da Basílica.


A entrada à Basílica de São Pedro é gratuita, não é preciso nem mesmo reserva prévia. Ao entrar na nave principal da Basílica, se tem a opção de comprar o áudio guia, que traz explanações s sobre os ambientes, as obras de arte e também conta a história de tudo o que se vê lá dentro. Tem áudio em português de Portugal. É um bom investimento para quem gosta de conhecer a história e ter maiores informações sobre o que se está visitando.


É difícil descrever a grandiosidade do interior da Basílica: tudo é muito bonito e bem cuidado. É permitido fotografar dentro da Basílica, então aproveite para registrar cada detalhe.


Passeie com calma dentro da Basílica e aproveite para conhecer as diversas capelas e procurar as seguintes atrações:

- A famosa Pietà de Michelangelo;
- A entrada do túmulo de São Pedro (que foi um dos 12 apóstolos e primeiro papa da igreja católica);
- A estátua de bronze de São Pedro;
- A cúpula que foi projetada por Michelangelo;
- O Baldaquino e a estátua de São Longuinho;
- O túmulo do Papa João Paulo II.


A Basílica de São Pedro abre todos os dias às 7hs e fecha ao por-do-sol. O Museu do Tesouro fica aberto das 8hs às 18hs.

Museus do Vaticano

Os museus do Vaticano ficam pertinho da Basílica de São Pedro e são uma experiência única. São vários pequenos museus, mas que na realidade funciona como um museu só, bastante organizado.


Quando chegamos, tinha uma fila bem extensa e a entrada demorou um pouco. Após entrar você encontra placas indicando para que lado está cada museu e pode escolher por onde começar a visita. Você pode pegar um mapa para se orientar melhor.


O trajeto principal é o que leva até a famosa Capela Sistina e as Stanze di Raffaelo. As placas indicam o caminho a ser seguido e optando por ele, você passará por várias partes interessantes do museu e poderá ver importantes obras de arte. O lugar estava muito cheio, com muitos grupos acompanhados por guias turísticos.


O lugar é muito bonito e cheio de obras de arte interessantes por toda parte. Pode-se passar o dia inteiro apreciando cada detalhe do museu, que é extremamente bem cuidado.


Após subir e descer muitas escadas e passar por salas lindíssimas, chega-se ao ponto alto do museu, ao destino mais esperado da visita ao lugar: a Capela Sistina.

A Capela Sistina é decorada com afrescos pintados por importantes artistas da Renascença, como Sandro Botticelli e Michelangelo. É nessa capela que é realizado o conclave, o processo de escolha do novo papa.

Uma vez dentro da Capela Sistina, preste atenção no seu teto, que foi pintado por Michelangelo e é considerado um dos trabalhos mais importantes da História da Arte. Michelangelo demorou quatro anos para finalizar esse trabalho e exigiu muito esforço, pois precisou trabalhar em cima de um andaime de 16 metros de altura, deitado e pintado sobre sua cabeça.

Não é permitido tirar fotos dentro da Capela Sistina e é melhor nem tentar: várias funcionários ficam tomando conta e estão prontos para chamar a atenção das pessoas que tentam fotografar.

A visita aos Museus do Vaticano, que inclui a Capela Sistina, é paga e o ingresso pode ser comprado no local, custando 16 Euros. Crianças de 6 a 12 anos pagam 5 euros.

Para evitar a fila da bilheteria, pode-se comprar antecipadamente pela Internet.

Dicas:

- O Vaticano é muito visitado pelos turistas e por isso costuma ficar cheio o ano todo. Procure chegar bem cedo para evitar perder muito tempo na fila.
- Optamos por visitar primeiro os Museus do Vaticano, deixando para conhecer a Basílica de São Pedro depois do almoço.
- Nas ruas próximas ao Vaticano tem muitas opções para se almoçar ou fazer lanche.
- Procure vestir roupas e calçados confortáveis, pois você precisará caminhar bastante para conhecer as principais atrações.
- Todo último domingo do mês e no dia 27 de setembro (dia mundial do turismo) a entrada é gratuita. Contudo, prepara-se para encontrar o Vaticano lotado.
- Você pode enviar um cartão postal diretamente do Vaticano (tem um Correios funcionando dentro do Vaticano), com direito a carimbo.

Vale a pena?

Visitar o Vaticano é uma experiência incrível, não deixe de incluí-lo em seu roteiro pela Itália. Além de visitar a Basílica de São Pedro, compre o ingresso para os Museus do Vaticano que você não se arrependerá: o lugar é lindo e guarda muita história, incluindo a Capela Sistina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário